Busca

Liquidificador Digressivo

Game of Thrones – S07 E01 – Dragonstone

 

“Shall we begin?”

Anúncios

Creating Light Amongst The Dark

sheer wil…

 

Easy – S01 E07 – Artigo de química

e07.png

e7

A vida de uma pessoa livre para conquistar os desejos e em busca de realização pessoal, mas que sofre com as dores dos sacrifícios que decorrem de suas escolhas.

E uma vida com o amargor dos projetos não realizados que se assemelham justamente às renúncias que a outra decidiu tomar.

Um clássico.

Easy – S01 E06 – Utopia

e6

Seguindo a direção do episódio Controlada, em que achamos que a qualquer momento os dois personagens serão pegos no sexo clandestino, neste ficamos apreensivo em achar que um dos dois cônjuges irá finalizar a noite de ménage à tróis sem o outro, quando é a terceira que fica de fora do ato final.

A ironia que a experiência bem sucedida do casal que queria abrir a relação ser apenas mais uma noite de sexo casual para uma solteira usuária de um app de pegação, é o verdadeiro orgasmo do episódio.

Easy – S01 E05 – Vida e Arte

e5

Woody Allen dos quadrinhos?

Easy S01 E04 – Controlada

easy s01e04 - controlada

Sicario

 

S_D040_10409.jpg

Em um grupo de discussão de cinema, li que Dennis Villeneuve não era essa coisa toda que pintam. Como um bom cinéfilo poser amador que sou, não fazia ideia de quem ele era e quais filmes ele tinha dirigido. O IMDb me mostrou  que eu já tinha assistido dois filmes que gostei bastante: Prisoners e EnemyTambém me relembrou de Incendies, que estava em constante promoção no iTunes e de Arrival, sucesso do fim de 2016.

Sicario é mais uma obra envolvente dirigida por Villeneuve, confirmando a necessidade de atentarmos para a regra de ouro do cinema: hype é o primeiro passo para a decepção. Trata-se de mais um thriller bem feito do diretor que não tem suas obras sustentadas apenas pela revelação do mistério ou de um plot twist, mas por serem bem construídas e possíveis de serem apareciadas no decorrer dos seus três atos.

SICARIO Day 01

É o filme que também me revelou quem é Emily Blunt, nome conhecido por mim e que já trabalhou em filmes que assisti, mas cujo rosto eu não não conseguia recordar. Com uma atuação em que, desde o início, nos mostra que sua personagem está perdida em algo maior com o que ela consegue lidar, a atriz é o contraponto de Benicio Del Toro, com atuação mais sutil, mas que traz um personagem com uma presença forte e  decido no que faz. Josh Brolin, por sua vez, incorpora os estereótipos de um agente da CIA que atua em desconformidade com a lei, como parece ser o modus operandi daqueles que combate de perto a “Guerra do Tráfico”, como bem mostrou o seriado NarcosFazendo mais uma ponta em um filme de grande expressão, Jon Bernthal segue sendo o ator que está construindo a melhor carreira pós-TWD.

A conclusão do enredo, apesar de não ser catártica, é satisfatória ao evocar um clímax tenso e um sentimento de desorientação que a protagonista sofre, além de enaltecer o interesse do espectador pelo passado de um personagem enquanto nos deixa a pensar qual será o futuro de outro.

Calvin, o sábio.

Blog no WordPress.com.

Acima ↑